Archive for the 'O farol de Mondrian' Category

Casa flutuante

31/05/2009

casa flutuante_1

Isto não é um farol. É uma casa com vista para o mar. Melhor, uma casa rodeada de mar por todos os seus lados. Uma casa-ilha, cujas fundações estão assentes no fundo do mar. É, indiscutivelmente, uma casa marítima.

A casa-farol de New London Edge, situada no estreito de Long Island, a leste da entrada do Porto de New London, foi construída entre 1906 e 1909, e é um raro exemplo, na viragem do século XX, de uma construção aquática em alvenaria e com distribuição interior doméstica. 

interior 1_2

Entre a cave, um rochedo de betão flutuante, e a lanterna, uma luz reflectida pelas lentes Fresnel, a altura da casa-ilha são três pisos de vida familiar. Tratando-se de uma construção aquática, não é em vão que o seu telhado se remate numas águas-furtadas. O seu sistema estrutural está constituído por um dos primeiros exemplos de uma laje de betão armado. No entanto, ainda tem reminiscências do ferro fundido: uma coluna nasce da água e eleva-se até à lanterna. Mas, pela primeira vez na história da arquitectura faroleira, essa coluna vertebral não possui nenhuma função estrutural, servindo apenas como correia de transmissão do tempo, isto é, levar até à luz os mecanismos de relojoaria que a fazem piscar de 30 em 30 segundos.

Farol Punta de la Baña

14/05/2009

Punta de la Baña_P

Esta fotografia não tem data. Foi tirada do seu contexto em finais do século XIX por José Martínez Sánchez, numa praia rasa e saliente chamada Punta de la Baña, 3 milhas a sudeste da boca do porto dos Alfaques (província de Tarragona), a 6 braças da beira-mar. Daí a sua devastação. Seis braças são mais ou menos onze metros, e isso faz com que pareça um farol no meio do deserto. Para além do fotógrafo, há outro sinal de vida na imagem: uma mulher ou uma rapariga à varanda. Está de costas, e vamos presumir que está assim porque essa é a melhor posição para se ver o mar.

Trata-se de um aparelho catadióptrico de terceira categoria. Possui uma luz fixa e branca, situada a uma altura de 19 metros sobre o nível do mar, que se consegue ver, num estado normal da atmosfera, a 13 milhas de distância. A torre é de ferro e ligeiramente cónica, de cor amarelada e a lanterna poligonal, com uma cúpula da cor natural do cobre. Nasce no centro do quarto dos faroleiros, de planta hexagonal, que tem no seu lado orientado para o mar duas portas e uma janela em cada uma das restantes faces.